Bruna Brandão - Leoa (single)

Atualizado: Mai 7

Devaneios e texturas eletrônicas permeiam novo single composto em parceria com Thiago Ruas; confira entrevista exclusiva


por Alisson Mota


Foto: Luli Morante

Bruna Brandão lança hoje sua carreira solo com Leoa, canção composta em parceria com o cantor e compositor Thiago Ruas. A dupla já havia dividido a composição de Paetê, lançada no ano passado numa mistura de nova MPB e uma pitada de psicodelia. Em Leoa, os sintetizadores são levados às últimas consequência, sendo, em maior parte, a esteira para a voz de Bruna.



O experimentalismo baseado em beats e texturas eletrônicas, com direito até a auto-tune, são preponderantes nesta produção minimalista, que levam a assinatura de João Mário e Vinícius Bigjohn. Um fato curioso é que a bateria da música - que só entra depois de um minuto e meio - é tocada por João Mário, talvez uma característica inédita deste fonograma.


Mas talvez o ponto alto do lançamento seja a estética exuberante que transmite uma atmosfera etérea e nostálgica, que aposta nos signos para escrever uma biografia. A produção tem direção, edição e finalização de Bruna Noveli.



Leoa precede o EP Lampejo, que já tem um próximo single na fila: "Astronauta do Destino", com produção de Allen Alencar e Bigjohn.


Confira abaixo a entrevista exclusiva com Bruna Brandão:


Siga a playlist Novos Essenciais!

Como foi o processo de composição de Leoa? Quais sentimentos e motivações conduziram a criação?

Bruna Brandão: A música foi escrita em 2015. Na época, estava vivendo um momento de vida-morte-vida do amor, que é por onde a música transita. O lugar de vulnerabilidade que é amar alguém, se abrir de corpo e alma para o encontro com o outro, o lugar da troca afetiva, que é tão complexa e tem tantos mistérios. Ao mesmo tempo, a música fala do arquétipo da Leoa, uma mulher que diz o que quer, que defende as pessoas amadas e aquilo o que acredita, que está disposta a se construir na relação com o outro. Isso é muito potente e forte, tem muita beleza. A vida estava me chamando para mergulhos profundos, foi quando também comecei a me relacionar com minha espiritualidade, vivendo o término desse relacionamento e entendendo os mistérios que há em cada etapa da vida.


A composição foi feita em parceria com Thiago Ruas. Como essa parceria se desenvolveu, culminando neste trabalho e no single Paetê?

BB: A letra é minha, mas a melodia inicial foi feita junto com Thiago Ruas. A minha parceria com ele vem desde 2014, num encontro muito musical e artístico. Paetê e "Leoa" saem do território fértil desse encontro espiritual, bonito e importante para nós dois. Em 2015, quando quis tornar Leoa uma música, não tinha como não falar com ele, e ele topou na hora. Veio em minha casa com o violão e, quando vimos, nasceu a primeira versão de Leoa. Depois, já em 2019, Thiago me chamou para gravar Paetê e eu nem hesitei, me senti honrada, e encantada pela música. Gosto da forma como a poesia de Thiago atravessa os meus sentidos e me instiga o afeto. Thiago é um artista que admiro muito, principalmente enquanto ser humano. Para este lançamento de Leoa, a música foi reconstruída com os novos arranjos de João Mário, se tornando uma outra música.


De que forma a sonoridade de Leoa foi trabalhada? Qual foi o caminho que resultou nessa estética etérea, minimalista e experimental?

BB: Quando conversei com João Mário, as ideias começaram a fluir. João trouxe caminhos que gostei muito e depois, quando achávamos que a música estava praticamente pronta, Vinícius BigJohn chegou para somar e nos mostrou que ela ainda tinha a crescer. Foi um processo muito aberto e dialético. Por isso, o experimental fica evidente. O único norte foi o sentido filosófico e existencial do que eu queria que tivesse na música, com a palavra cantada (ou spoken word) e a ambiência da forma como entendo o amor, algo misterioso e profundo. Entra no universo etéreo, místico e experimental, porque o amor é assim.


Falei com eles sobre o que a composição significava para mim, e João e Big mergulharam nessa troca comigo. Via Zoom, a gente ficava com o projeto aberto e ia mexendo ali na hora, vendo o que funcionava, e fomos experimentando até chegarmos nesse lugar comum. No arranjo, queria algo que lembrasse um rugido de leão e João Mário veio com os vocais geniais. Teve também algumas referências de som que trocamos, como Solange Knowles, Carla dal Forno, Sevdaliza, Luiza Lian, e Anika que me influencia bastante no spoken word.


Leoa é o primeiro single de Lampejo. De que forma o single se relaciona com o EP. O que podemos esperar dele?

BB: Todo o EP vai transitar por essa mescla de elementos eletrônicos e orgânicos, fazendo um casamento com beats e synths, e mergulhará nesse universo mais etéreo, místico, espiritual e existencial. Leoa é a música com mais camadas eletrônicas do EP e é onde acontece o encontro entre sagrado e profano, céu e terra, entre espírito e matéria, falando da vida e morte do amor. O EP todo vai ter um universo místico e espiritual por caminhos de vida e morte. Lampejo é quase que um ritual. Tem um momento de chegada e tem o momento de saída. Eu gosto de criar a partir da palavra, do sentimento e da imagem. Isso funcionou muito para a comunicação com os meus parceiros de banda. O EP Lampejo é esse ponto de iluminação, de insights, de criar música, este lugar que estou começando a transitar.


Produção musical e arranjos:

João Mário

Vinicius Bigjohn


Composição:

Bruna Brandão

Thiago Ruas


Voz: Bruna Brandão

Guitarras, baixo, teclas, bateria e coros: João Mário

Synths, beats e programações: Vinicius Bigjohn

Mixagem: João Mário

Masterização: Vinicius Bigjohn


Ficha técnica do videoclipe

Elenco: Bruna Brandão e Pietra Mattos

Direção: Bruna Noveli

Direção Criativa: Bruna Brandão

Roteiro: Bruna Brandão e Bruna Noveli

Direção de Fotografia: Bruna Noveli

Assistente de Fotografia: Gladson Galego

Direção de Arte, Figurino e Styling: Bruna Brandão e Ithalo Andrade

Produção executiva: Bruna Brandão

Assistente de produção: Lume

Cabelo: Dani Goes

Maquiagem: Preta Afromake

Unhas: Alice Messias

Fotografia Still: Luli Morante

Operadora de Câmera: Bruna Noveli

Iluminação: Gladson Galego

Edição e finalização: Bruna Noveli