#02 | Lacertae - A Volta Que o Mundo Deu

Sandyalê indica o álbum de 2004 da Lacertae, que influenciou os rumos do seu trabalho


por Alisson Mota



Na segunda parte da série Clássico da Semana, a cantora e compositora Sandyalê indica o último disco da lagartense Lacertae, A Volta Que o Mundo Deu, de 2004. "Além de ser um som bem frenético e ao mesmo tempo viajado, as letras são foda. Eu absorvo e entro na onda. A música é instigante, provocadora, às vezes tensa, às vezes leve, mas sempre psicodélica. É uma bela viagem, com ou sem baratos. E esse disco ainda tem participação de um cara que me inspira muito, chamado Lira (Cordel do Fogo Encantado)", indica a cantora.



A produção no intervalo de quase 10 anos da dupla de primos de Lagarto, Deon e Tacer, deixou sequelas profundas na cena musical independente no Nordeste. Em Sergipe, inspira até hoje e as canções são facilmente relembradas. Há quem considere que a Lacertae foi a correspondência sergipana ao manguebit.


"Dudu [Prudente, produtor musical] me apresentou a banda. Ele tinha o CD físico e comecei a ouvir no carro. Alguns amigs de Lagarto já tinham comentado também. Os caras são foda, não tem como não prestar atenção de primeira", conta Sandyalê sobre seu primeiro contato com a banda.


Ela revela também que a Lacertae foi uma das referências que nortearam sou projeto posteriormente, do ponto de vista estético. "Tudo começou quando eu ainda estava encontrando Sandyalê. É uma baita influência, Deon na guitarra/voz e Tacer na bateria e berimbau. Só. As letras são fantásticas. Eu sou viciada nos dizeres, frases repetidas, que fazem total sentido para mim. Para levar pra vida mesmo", confessa.



A influência foi tamanha, que a cantora cita trechos de músicas das bandas nas suas apresentações ao vivo. "Eu introduzo alguns trechos/falas de algumas músicas do Lacertae dentro de Ana Coqueóis. Faço isso desde o primeiro show do Um no Enxame [seu primeiro álbum, de 2014], é como se tivesse que fazer parte mesmo. Uma música remete a outra, eu sinto assim", explica. As músicas citadas em Ana Coqueóis são O Danado, deste álbum, Porque Queres Me Ouvir e Concreta, do Berimbau de Cipó Imbé (2002).


Se fosse para escolher uma canção do disco... Ela indicou quatro: O que é? O que é?, O Danado, Eu Não Posso Ficar Parado e Pra Que Pressa. "São músicas que me instigam. Mexem comigo, com o corpo e a mente. Os instrumentais são delirantes, uma viagem no espaço mesmo. Muitos detalhes, sons estranhos tirados de instrumentos comuns. É tudo muito roots, dá pra sentir. Os caras fazem isso organicamente, de primeira ou de segunda, mas é seguido. Essa mistura poesia com música, sons, ruídos, texturas... Eu gosto disso!!!!", finaliza.




Ficha Técnica

Produção Musical – Lacertae e Buguinha Dub

Masterização – Quincas Moreira

Mixagem – Buguinha Dub


Voz, Guitarra, Violão, Congas, Rabeca – Deon Costa

Bateria, Berimbau, Backing Vocals, Congas, Flauta, Zabumba – Aldemir Tacer

Participação especial em Amiga Folhagem - José Paes de Lira (Lirinha)